Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Ventor entre as Flores

Caminhem com o Quico e o Ventor entre as flores

O Ventor entre as Flores

Caminhem com o Quico e o Ventor entre as flores

09 08 09_1163.jpg

Flor na serra de Soajo, em Adrão

Flor na serra de Soajo, em Adrão

Flores na serra de Soajp, em Adrão

Flores na serra de Soajp, em Adrão
23.02.14

As Flores já Caminham a Meu Lado


Ventor

Este ano não dei as boas vindas ao velhote de barbas brancas a que, genericamente, chamamos Inverno. Eles são quatro irmãos, mais especificamente, 3 irmãos e uma irmã. Queiramos ou não, temos de viver e conviver com os quatro.

 

Este inverno tem sido por demais por esse mundo fora e, no dia da sua chegada, em 21 de Dezembro, terá vindo de mau humor e levou a minha companheira de caminhadas a partir a perna. Ele veio mesmo com cara de poucos amigos e não gostou de ver ela dirigir-se ao Ventor e virar na porta à direita para cumprimentar uma das desgraçadas que fazem companhia à sua mãe nas desgraças do fim da velhice.

 

Mas no dia 2 de Fevereiro, 21 e hoje, 23, eu tentei verificar se o Inverno, esse velhadas continua mal humorado. Fui à serra de Sintra duas vezes neste mês e uma à mata do Estádio Nacional ver os meus amigos estorninhos e outros.

 

 

 Scilla Monophyllos

 

  

Sete Sangrias, nome científico: Cuphea carthagenensis

 

Na serra de Sintra o Inverno permitiu-se tratar das flores do Ventor. Elas lá estão, como todos os anos, felizes da vida. Hoje, alonguei a minha visita às flores que, no Guincho, se penduram sobre o mar e resistem a todos os vendavais.

Ao encostar o carro, perante o marejar das ondas e os seus estrondos de encontro às rochas da costa, comecei logo a observar as belezas coloridas em belos tufos que mais pareciam vasos a sair do terreno rochoso e logo iniciaram a sua cantoria e gritando: "salvé Ventor"!

 

 

Crocus sativus

 

 

Crocus sativus

 

Podem haver coisas lindas neste mundo mas nada mais belo que as flores. Flores como os chorões do Cabo que invadiram as nossas zonas de praia, as Armeria welwitschii, os Crocus sativus e outras, lá estavam a saudar as ondas e a observar o mar.

 

 

 Armeria welwitschii

 

 

 Armeria welwitschii (raiz divina)

 

Estas raízes divinas cujo nome científico é Armeria welwitschii, parece que espreitam por uma janela a observar o mar, enquanto são borrifadas pelas gotículas que as ondas espalham ao mesmo tempo que vão ameaçando as rochas.


Em todo o mundo há flores lindas, como as minhas Flores de Inverno ou Flores da Vida mas, não ofuscam as flores das minhas Montanhas Lindas

2 comentários

Comentar post