Eu sei que vocês não acreditam, mas a verdade é que as flores sorriem!

Esta conclusão é fácil de tirar e já me certifiquei.

Gosto, por exemplo, de andar com pessoas simpáticas quando o devem ser e com pessoas brutas mas leais, se tiverem de o ser!

 

 

Dia belo para ver lindas mimosas na serra de Sintra

 

Com as flores passa-se a mesma coisa. Se eu as olho com olhos de ver e de apreciar, elas sorriem, se as olho como coisas desinteressantes elas amuam e ficam tristes. Noto isso quando caminho entre as flores e, faço com que aquele momento seja só para elas. Elas sabem apreciar-me e recompensam-me!

 

Quando caminho no meio delas com qualquer tipo de preocupação, olho-as mal, de forma desinteressada e elas amuam. Ficam tristes!

 

 

Mas o inverno trás-nos flores diversificadas

 

Quando caminho no seu seio e as olho com a dignidade que elas me merecem, ficam ainda mais lindas, mais perfeitas e sinto que têm vontade de me agradar. Elas até parece que dançam uma dança a que poderei chamar a "dança da alegria" e pretendem agradar-me a mim e ao nosso amigo Apolo, exibindo todo o seu esplendor.

 

Sinto, tal como um xamane, que as flores têm alma! Para mim, mesmo arredado de uma filosofia xamane, todos os seres vivos têm alma. Eu sempre senti que os animais, com os quais tenho convivido, têm alma. É isso que sempre me têm transmitido e é isso que eu vejo todos os dias em todos os animais e o meu Quico é o melhor dos últimos exemplos e demonstra-o quando me olha profundamente nos olhos. Ele lê os meus olhos enquanto eu tento apreender o que os dele me dizem.

 

 

O tom amarelo está presente no inverno

 

Caminhando entre as flores, observando-as, sinto a sua alegria extravasar à minha volta. Se me encosto a uma árvore, esquecendo a sua presença, ela fica triste. Se me volto para ela e a olho com mais atenção, tudo, em redor, se transforma. Tudo em nosso redor começa a sentir-se  com outra vivacidade e com confiança. É a natureza a mostrar-nos a sua gratidão!

 

Tudo isto se torna mais lindo quando as flores são Flores de Inverno. Ontem na serra de Sintra cumprimentei umas árvores que todos temem e, que devido à sua persistência a assenhorar-se de todo o espaço à sua volta, não é caso para menos. É a mimoseira. Mas eu senti que elas reclamavam a minha presença e me pediam para lhes ceder algum do meu tempo a observá-las, prometendo exibirem-se para mim.

 

 

Mas não se importem, podem ir comigo ás malvas!

 

Assim foi! Olhei-as e continuo a pensar que elas são uma grande maravilha da natureza quando se enfeitam para nós. Toquei com toda a meiguice, deste mundo, as suas flores amarelas e, ao esticar a mão, os insectos que nela se banqueteavam passaram-se logo para o lado contrário. A mimoseira até parece que percebeu e disse-me: «deixa-te ficar Ventor! Continua a observar-me que eles aproximar-se-ão e tocarão para ti a mais bela das tuas sinfonias».

Assim foi! Eu fiquei algum tempo a observar aquele pequeno mundo e fui um surtudo com a mais bela sinfonia que se pode esperar de conjunto tão belo. Apontava a máquina e o som perdia volume, retirava a máquina e o volume subia e assim foi durante algum tempo. A minha máquina foi, durante alguns minutos, a reguladora do volume do som.

 

 

Sintra! A serra é bela num dia de sol e as mimoseiras já a enfeitaram para nós

 

O meu amigalhaço albi-negro-amarelo disse-me: «já sabes que é assim Ventor! Esta malta não gosta de maiores olhos que os seus e tu transportas um "olho" muito grande»!

 

Segui para outro local onde fui apreciar a germinação das flores com cuja beleza as ericas me irão brindar brevemente. Flores amarelas dos tojos, crescendo lindas, um quase rosa esbranquiçado das carrascas, o amarelo das mimoseiras e, para que nada me faltasse, o grito da águia! A águia voou em circos á minha volta sempre a gritar, parecendo querer chamar o seu companheiro de grandes caminhadas. Será que lhe aparece? Muita gente não perceberá a beleza de uma águia voando sobre nós e a beleza torna-se maior á medida que o nosso mundo se torna tão desfavorável para eles (todos os animais).

 

 

O rosa é a bela cor do amor e é uma cor sempre linda, qualquer que seja a flor

 

Mas o nosso mundo torna-se cada vez pior, não só para eles, mas também para nós. Pensem nisto! Pensem que, pelo rumo que estamos a dar a este mundo, que ainda é nosso, não tardará mutio que não hajam águias a voar sobre as nossas cabeças.

 

Por mim, continuarei a respeitar as flores e todos os animais que, com elas, me fazem acreditar nos princípios da "filosofia xamane"!

Em todo o mundo há flores lindas, como as minhas Flores de Inverno ou Flores da Vida mas, não ofuscam as flores das minhas Montanhas Lindas

música: House of the Rising Sun de: The Animals
publicado por Ventor às 01:07