Let it be! É esta a música que estou a ouvir ao mesmo tempo que passo no monitor as rosas que vejo, virtuais, e ao desviar a cabeça, verifico que parecem bandeiras desfraldadas ao vento sobre o muro do Quintal à minha frente. Aqui já reais.

Jan.14.ol 011.jpg

Este foi o primeiro botãozinho de rosa branca colhido, na máquina, em Janeiro, 14. É uma beleza poder apreciar as rosas brancas que todos os anos me acenam à passagem da aragem matinal!

Jan.14.ol 009.jpg

Esta escondida no meio das folhas de um verde velho, grita o seu "olá Ventor". Saqueia lá do fundo onde quase não apanha sol!

Jan.14.ol 008.jpg

Esta está toda satisfeita quando eu passo levar o lixo e não só, pois diz-me que a nossa vida é uma beleza e que conhece a história da minha vida, desde há 30 anos e de todas as suas antecedentes que comigo conviveram!

Jan.14.ol 010.jpg

Esta é linda, montada na alvorada matinal ao raiar do sol. Parece um animal na selva a espreitar se há perigo que se aproxime.

Todos os dias, desde que há amostras de rosas, eu olho o quintal com outro ver. Estas rosas vão ser mortas num dia próximo! Com elas vão desaparecer muitos anos de vida comum. Este pequeno Quintal tem tido muita influência na minha vida, pois tem sido elo de ligação entre o meu presente e o meu passado. Ali vejo esvoaçar pardais, pintassilgos, melros. Ali vejo o mundo vegetal caminhar a meu lado desde que me levanto até me deitar. As oliveiras, o pessegueiro a desaparecer, o limoeiro, a laranjeira, a figueria (que bons eram os seus figos)! Ali a rodear parcialmente a casa velha que já foi padaria e depósito de pão sempre adoçaram o meu olhar.

Mas o mundo dá voltas e temos de nos conformar com elas.

Em todo o mundo há flores lindas, como as minhas Flores de Inverno ou Flores da Vida mas, não ofuscam as flores das minhas Montanhas Lindas

publicado por Ventor às 14:41