Voltei ao sítio rosa, um dos sítios de olaias rosadas, no nosso Planeta Azul.

 

 

 

Desta vez a Dona do Quico quis matar saudades e cuprimentar as árvores vestidas de rosa. Tirei-lhe várias fotos mas ela não conseguiu sorrir perante a câmara entre aquelas árvores rosadas!

 

As dores eram muitas e até me pareceu que o sorriso era proibido!

A "rede" que o detinha era enorme e interpunha-se entre o passado airoso e o presente cheio de dôr. Eu sonhei que voltara a vê-la sorrir entre as olaias, mas na vida real não deu. Pedi-lhe para ir comigo às olaias  e ela foi, mas com sacrifício, e não era assim que eu gostava que ela fosse!

 

Eu queria vê-la entre as olaias a sorrir, mesmo que apoiada na sua limusine. Mas não deu! Eu gostava que ela ouvisse os pica-paus, mas os pica-paus não estavam por ali. Ela partiu para o carro e mal partiu, os pica-paus apareceram para cumprimentar o Ventor. Ela seguia no piso de terra de muitos sonhos, os pica-paus voltaram e eu descarregava a minha terrível frustração no obturador da máquina, olhando as árvores rosa.

 

Até aquele sorriso bonacheirão do meu amigo Apolo ficou triste, tal como eu. Fiquei ali a ouvir os pica-paus e a disparar a minha máquina sobre as flores rosadas e as folhas verdes lindas das olaias. Quem sabe, não muito longe, só as verei nesta janela!

Em todo o mundo há flores lindas, como as minhas Flores de Inverno ou Flores da Vida mas, não ofuscam as flores das minhas Montanhas Lindas

publicado por Ventor às 23:49